domingo, 15 de novembro de 2015

Muffins de abóbora e Nutella. Para o meu filho.

Não sei bem por onde começar. Escrever sobre bolos por estes dias parece de uma futilidade inconsciente. Depois das notícias que abalaram este fim de semana, falar sobre muffins de abóbora parece coisa de gente egoísta que vive numa redoma, de costas voltadas para o mundo.
Mas, se pensarmos bem, não será assim tão descabido. Hoje, no Facebook, no meio de muito entulho, cruzei-me com esta frase, da Madre Teresa de Calcutá: "O que é que podes fazer para promover a paz no mundo? Vai para casa e ama a tua família.". E confesso que esta frase aplacou a minha sensação de impotência. Pensei que é mesmo isto. Se amarmos a nossa família e formos bons com quem nos rodeia, estamos a dar um contributo que não é assim tão pequeno. Se ensinarmos as nossas crianças que ser Bom é ainda mais importante do que ter Bom, estamos no caminho certo. Andamos assustados com a falta de bondade que vai pelo mundo. E a maldade começa nas escolas, onde muitos dos que se sentem inferiores usam a força para se sentirem poderosos. Se pensarmos bem, a essência de muitos bullies que infernizam a vida a colegas não difere assim tanto da dos terroristas que encontram um propósito de vida a amedrontar pessoas inocentes. Com um grau de crueldade menor, é certo, mas a base é semelhante. Por isso, talvez possamos começar a combater o terrorismo nas nossas casas e nas nossas escolas. Formar gente de Bem, gente Feliz, gente que acredite nos valores da Liberdade, Igualdade e Fraternidade. Gente que não precise de oprimir para se afirmar. 
Se não temos poder para desarmar os terroristas e acabar com os problemas do Mundo, que façamos a nossa parte para tornar o nosso mundo e o daqueles que nos rodeiam um bocadinho melhor.


Muffins de abóbora e nutella
(Receita adaptada desta)



Ingredientes:
2 chávenas de farinha T65
1 chávena de açúcar
1/2 chávena de açúcar mascavado
1 colher de chá de fermento para bolos
1 colher de chá de bicarbonato
1/2 colher de chá de sal
1 colher de chá de mistura de especiarias para tarte de abóbora (na receita original, 1 colher de chá de canela, 1/2 de noz moscada e 1/2 de cravinho)
2 ovos
2 colheres de chá de extrato de baunilha
1 1/2 chávena de puré de abóbora
3/4 chávena de óleo
1/3 chávena de Nutella

Preparação:
Comecei por fazer o puré de abóbora: descasquei uma abóbora pequena, tirei-lhe as sementes, cortei-a em pedaços e cozi-a a vapor, antes de a reduzir a puré.
Entretanto, aqueci o forno a 180 graus e coloquei as forminhas de papel (estas vieram desta loja) num tabuleiro para muffins.
Numa taça de tamanho médio, misturei a farinha, o fermento, o bicarbonato, o açúcar, o açúcar mascavado e as especiarias. 
Noutra taça, maior, bati ligeiramente os ovos. Depois, juntei a baunilha, o óleo e o puré de abóbora e continuei a bater, até obter um creme uniforme. 
Misturei o conteúdo das duas taças, envolvendo suavemente, sem bater. 
Enchi as formas de papel até 3/4 e, no centro de cada uma, coloquei uma colher de chá de Nutella. Com uma faca, misturei a Nutella com o creme, fazendo uma espécie de espiral. 
Levei os muffins ao forno cerca de 20 minutos.






12 comentários:

  1. Pois é Idília, temos de começar pelo básico: amar e ajudar os mais próximos. Quem está ao nosso redor. Basicamente é isso. Quando me telefonam ou escrevem pedindo doações, eu respondo dizendo que já faço isso aos meus. Aos mais próximos necessitados. Belas palavras, Idília, como sempre! Beijos, Paula Couto.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Paula.

      Se todos olhássemos à volta e tentássemos ajudar quem está ao pé, este mundo seria bem mais agradável. Concordo consigo.
      Muito obrigada pelas suas palavras. É sempre muito bom receber visitas suas :)

      Um beijo,

      Ilídia

      Eliminar
  2. Juro que não sei o que será o futuro. Mas não o prevejo fácil e feliz, infelizmente. É lamentavel que estas situaçoes aconteçam no dia de hoje. E há muito que cumpro essa premissa da Madre Teresa. A dada altura achei que estava a ser egoista, mas tenho cada vez mais a certeza que é o que está certo, porque se todos fizessemos por amar os nossos e os que estão à nossa volta, seria um grande passo para um mundo mais feliz.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acabei de ver as notícias. De arrepiar. Cada dia mais. O meu filho de sete anos anda assustado. E tem de andar, com tudo o que se está a passar. Vou tentando acalmá-lo, mas não é fácil. Por isso, vou fazendo o que sei: amá-lo e dar-lhe mimos.

      Um beijo,

      Ilídia

      Eliminar
  3. que aspecto tentador!! Sim, de facto não há palavras para descrever o horror, mas há momentos em família que conseguem aplacar a dor, e o melhor que podemos fazer é ama-los e demonstra-lo todos os dias porque não sabemos o que nos espera..
    Beijinhos,
    http://sudelicia.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estamos a viver tempos difíceis. O futuro é muito incerto e não vemos uma solução pacífica para pôr fim ao terror. Temos mesmo de nos virar para os nossos e viver o dia a dia o melhor que pudermos.

      Um beijinho,

      Ilídia

      Eliminar
  4. Realmente somos muito pequenos e se ambicionamos a paz no mundo temos de começar pelos que nos rodeiam porque, se todos fizermos a nossa parte, o mundo torna-se um espaço bem melhor. Em relação a estes queques, estão com um interior fantástico e pelos ingredientes devem ser óptimos :)
    Gulosoqb

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vivermos as nossas vidas respeitando os outros. Parece uma fórmula tão simples, não é? Por que será tão difícil de pôr em prática?

      Um beijo,

      Ilídia

      Eliminar
  5. Gostei muito do teu texto, Ilídia. É isso. Gostei muito. Obrigada por teres escrito.

    Um beijo grande de boa semana. Toma conta de ti e dos teus. Isso é tanto.

    Mar

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, querida. Tinha de escrever. Também gostei muito do teu texto sobre Paris. Não dá como ficarmos caladas e falar só de comida.

      Um beijo para ti.

      Ilídia

      Eliminar
  6. Ilídia, o teu texto está mesmo certo.
    Começar pelo que nos rodeia e pelo amor pelo próximo!
    Nada de mal em falar de uns muffins lindos e deliciosos como estes, que promoveram um lanche bem feliz em família.
    Um beijinho minha querida.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nada de mal em falar de muffins, mas acredita que no passado fim de semana andei como que bloqueada. Como se, depois do que aconteceu, fosse estranho falar de uma coisa tão banal como muffins de abóbora :) Mas era tolice. A vida continua e temos de a viver o melhor que conseguirmos/ soubermos.

      Um beijo,

      Ilídia

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Acerca de mim

A minha foto
O Acre e Doce é um blogue que celebra a vida de casa, principalmente os momentos passados à volta da mesa. É um blogue de coisas que nos fazem felizes, sejam uma refeição, um filme, um livro ou um ramo de flores frescas.