quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Mais um bolo de batata doce para uma visita inesperada

       Quem vem aos Açores quer voltar. Dizem que esta terra tem uma magia que prende as pessoas. Até as tempestades se apaixonam pelas nossas ilhas. A Nadine tinha estado cá há menos de quinze dias e não aguentou. Teve de voltar.
       Hoje, as escolas fecharam e ficámos os três em casa. A tempestade passou, novamente sem causar grandes estragos. E minto se disser que não me soube bem este dia em casa, a ouvir o vento lá fora. Gosto destes dias de forno aceso, cheiro a canela e pijamas vestidos até tarde. 
         Antes do almoço, o telefonema de uma amiga que não via há algum tempo. Vou passar por aí, para te levar um presente. Para a receber, fiz um bolo. Uma experiência, a partir deste e deste. E correu bem. O resultado foi um bolo leve e menos calórico do que os bolos convencionais.

        
 Pelas 15:30, a campainha tocou. Era ela, com uma pana* de legumes e vegetais da sua horta para me oferecer. 



          Mas a marota da Nadine pregou-nos uma partida. Fomos colher acelgas para a Susana levar. Quando regressámos, a pana, que ficara na rua, tinha desaparecido. Percorremos o jardim e não a encontrámos. Estava bem escondida entre dois muros, a rir-se de nós :)
          Depois do incidente, fomos para a cozinha, pôr a água a ferver para o chá. E sentámo-nos a comer e a conversar. Uma tarde para matar saudades.

* pana: termo usado por cá para designar uma bacia de plástico (deturpação do inglês pan)

Bolo de batata doce 

180 g de açúcar amarelo
casca de 1/2 limão
150 g de puré de batata doce (ralado grosseiramente, para que se notem alguns pedacinhos)
3 ovos 
1 iogurte natural
50 g de azeite 
200 g de farinha de centeio integral
1 1/2 de chá de fermento para bolos
1 colher de chá de canela em pó
spray para untar
farinha q.b. para polvilhar

Preparação na Bimby:
Pré-aqueça o forno a 180 graus. 
Coloque no copo o açúcar, a casca de limão e pulverize 15 segundos, velocidade 9. 
Junte os ovos e programe 1 minuto, 37 graus, velocidade 4.
Adicione o iogurte e o azeite e programe 20 segundos, velocidade 4.
Adicione a farinha, o fermento e a canela e programe 15 segundos, velocidade 3.
Adicione o puré de batata doce e envolva, com a ajuda da espátula.
Coloque a massa numa forma de bolo inglês, previamente untada e polvilhada com farinha, e leve ao forno pré-aquecido, cerca de 55 minutos.

Fonte: Adaptado de Revista Bimby - Momentos de Partilha, outubro de 2011, Vorwerk

Preparação tradicional (não testada):
Pré-aqueça o forno a 180 graus.
Bata as gemas com o açúcar e a raspa de limão. Adicione o iogurte e o azeite e continue a bater. Adicione a farinha, o fermento e a canela e bata mais um pouco. Adicione o puré de batata doce e envolva, com a ajuda de uma espátula.
Batas as claras em castelo e adicione ao preparado anterior, envolvendo bem, sem bater. 
Coloque a massa numa forma de bolo inglês, previamente untada e polvilhada com farinha, e leve ao forno pré-aquecido, cerca de 55 minutos

Enquanto a Nadine soprava, lá fora, encontrei a Micas, à janela, a ver os arbustos a abanar.



21 comentários:

  1. ola
    hum...
    maravilhoso.
    eu e minha filha somos fãs de batata doce.
    vou tentar fazer um bolo assim... quem sabe não me tocam há campainha também... rsrsrsrs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Experimente. Esta versão ou a outra, mais doce. E depois venha contar se gostaram:)

      Eliminar
  2. Estava mesmo a pensar como teria sido a visita da tempestade que quis regressar à tua ilha. Dias de tempestade assim devem saber mesmo bem. Sem perdas. Só dádivas. E destemida, a tua amiga:) Hoje estava a ouvir as notícias e aconselhavam a que as pessoas ficassem em casa.
    E sabes, queria pedir um bolo destes. Achas que quando for aí, pode haver bolo de batata doce para mim também?:)

    Bom último 5 de Outubro a ser feriado nacional.

    Um beijo.

    Mar

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quando a Susana passou por cá, o vento já tinha acalmado bastante. Os conselhos eram mais para a parte da manhã, que foi quando a tempestade atingiu o ponto mais alto.
      Quanto ao teu pedido, claro que sim. Haverá bolo e muito mais :)
      Beijos

      Eliminar
  3. Que belo bolo, deve ser bem leve e saboroso.
    Esperemos que a Nadine ou uma das amigas dela não queira regressar aí tão cedo.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também espero. Desde agosto, já passaram por cá três tempestades: o Gordon e a Nadine, duas vezes. Já chega!
      Beijinhos

      Eliminar
  4. tens toda a razão: quem vai aos Açores quer sempre voltar. Visitei a ilha Terceira à 12 anos e desde então que quero voltar e conhecer as outras ilhas, mas com a crise está mau! Esse bolinho está lindo!
    Beijinhos e bom feriado.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, a crise limita-nos muito. Eu também já não viajo com a mesma frequência :(
      Beijinhos

      Eliminar
  5. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  6. Que bolo maravilhoso! Adoro batata doce e tenho muita curiosidade em experimentar :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Argas. Também nunca tinha comido em bolos. Fiquei agradavelmente surpreendida.
      Beijinhos

      Eliminar
  7. Ilídia, como obtém o puré de batata doce? A receita parece deliciosa, mais uma vez!

    Menos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cozo a batata doce a vapor, pois fica menos líquida, e trituro-a com a varinha mágica. Mas poderá cozê-la em água e escorrê-la bem, antes de a passar.

      Eliminar
  8. Sim é verdade Ilidia; os Açores têm um não sei quê que cativa... Já ai estive e tenciono voltar...
    Vejam lá se mandam uma chuvinha para aqui (mas sem tempestades) porque isto aqui no Algarve anda muito seco... e também já tenho saudades de me sentar à lareira...
    Quanto ao bolinho; para não variar ficou magnifico e estou mesmo tentada a experimentar um dia destes...
    1 Beijinho do continente

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por aqui, realmente, chuva é coisa que não tem faltado. E hoje, o dia está novamente muito ventoso.
      Experimente o bolo e conte como correu.
      Beijinhos da Terceira

      Eliminar
  9. Tão gira a Micas :)
    Marota da Nadine, mas se há ilhas que apaixonam são os Açores e eu também tenciono voltar aí.
    Gosto deste teu bolinho de batata doce, parece tão fofo, e gosto do uso do centeio. Um bolo próprio para receber esses dias de tempestade, dias de recolha com cheiro a canela :)
    Um beijinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A Micas é um doce, muito meiguinha.
      Espero que sim, que voltes. Estarei aqui para te receber e mostrar o que temos de melhor :) E recebo-te com um bolinho. Este ou outro. Depende da estação :)
      Beijinho

      Eliminar
  10. Ainda bem que voltou tudo à normalidade! O bolo está lindo.

    ResponderEliminar
  11. A tarde passou a correr efiquei com a sensação que ainda tínhamos muito para conversar. Se não tivéssemos perdido tanto tempo a correr atrás da pana tínhamos conversado mais :-D.
    O bolo estava delicioso e até já fiz outra versão que logo colocarei no blogue. E sim mereces tudo o quanto te levei... e muito mais :-)

    Beijocas.

    ResponderEliminar
  12. O bolo está com um "ar" fantástico, nunca experimentei bolo de batata doce, fiquei curiosa ! :)

    Não conheço os Açores, infelizmente, mas está nos nossos planos visitar pois entendo que devo, além de querer, conhecer o "meu" Portugal de lés-a-lés e sei, porque a minha sogra já aí foi, que é um destino que vale muito a pena.

    Ainda bem que a Nadine não fez estragos de maior por aí !

    Beijinhos

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Acerca de mim

A minha foto
O Acre e Doce é um blogue que celebra a vida de casa, principalmente os momentos passados à volta da mesa. É um blogue de coisas que nos fazem felizes, sejam uma refeição, um filme, um livro ou um ramo de flores frescas.