quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Um post picante: massa de malagueta

Não nos deixámos intimidar pelas nuvens negras e ameaçadoras que povoavam o céu. Apesar do dia pouco apropriado a trabalhos ao ar livre, naquela tarde de final de agosto, o meu pai e eu dirigimo-nos à horta, tal como havíamos planeado. Tinha chegado o dia de finalmente colhermos as malaguetas que ele plantara e que ambos víramos crescer. 
Com o balde ainda meio, a primeira gota. Seguiram-na outras. Acelerámos. O desconforto da roupa molhada contrastava com o som agradável da chuva a cair nas folhas. E o cheiro a terra molhada, que nas estações quentes tem um encanto especial. Quase mágica, a horta, salpicada pela chuva de verão. 
Debaixo do guarda-sol, eu, com as minhas luvas cor-de-rosa, e o meu pai, de luvas azuis, arranjámos as malaguetas, enquanto a chuva continuava a cair, mansa e generosa. Falámos com saudade do meu avô, que costumava fazer estas coisas. Enquanto o meu pai telefonava ao meu tio, a tirar dúvidas, eu recordava o orgulho do meu avô quando nos dava a provar a sua massa malagueta e os seus curtumes. Imagino como ficaria feliz ao ver os filhos e a neta a seguir os seus passos. E vejo os seus olhinhos azuis e pequeninos a sorrir de felicidade.



Para além de ser usada como tempero, a massa de malagueta é utilizada em entradas e petiscos, tais como batatas cozidas, abertas ao meio e barradas com esta pasta, ou ainda com queijo fresco, como podem ver na foto abaixo. Estes petiscos podem ser encontrados com facilidade nas tasquinhas e restaurantes típicos das nossas ilhas. 
A receita é muito simples e encontra-se no Receitas ao Desafio.


14 comentários:

  1. Possivelmente durante a próxima semana vou colher as minhas, como não vou conseguir encher um balde, tinha pensado não moer mas sim guardar em salmoura para acompanhar um bom bife acamado numa fatia de pão torrado. Falta-me saber fazer a salmoura.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também me parece uma belíssima ideia. No entanto, não o posso ajudar quanto à salmoura, pois não conheço esse processo. O meu avô só fazia massa de malagueta e curtumes.

      Eliminar
  2. Ilida,
    Ando fascinada pelos teus posts de gastronomia açoreana. Fiquei cheia de saudades de uma boa alcatra de peixe e agora esta massa de malagueta deixou-me a sonhar.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fico feliz por a ter feito sonhar, Carla :)
      Beijinhos

      Eliminar
  3. Setembro, o mês maravilhoso das colheitas e das conservas, sejam elas doces ou salgadas. Como recolectora que sou adoro este mês. Infelizmente não há malaguetas cá na horta da Quinta da Vinagreira, mas dedicarei-me às compotas e aos curtumes. Estou a contar os dias para ir às amoras e às uvas-da-serra.
    Um bom Setembro e que orgulhes muito o teu avô :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada pela visita. Adoro conservas, apesar de este ano ter feito menos do que o habitual.
      Por aqui, ainda não encontrei amoras e tenho muita pena, pois adoro.
      Beijinhos
      PS: Sim, vou tentar orgulhar o meu avô :)

      Eliminar
  4. Ilídia,

    Que delícia voltar aqui e ser recebida com este belo texto. Senti os pingos de chuva no meu rosto. Lindo mesmo.

    Um beijo,
    Carla

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Carla, muito obrigada :)
      Um beijo para si também.

      Eliminar
  5. Gostei da receita. Vou levá-la comigo
    Beijinhos
    Belinha
    Mundo das Receitas
    http://mundodasreceitas.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Belinha, quando fizer, venha contar-me o resultado.
      Beijinhos

      Eliminar
  6. Acabei de chegar da cozinha e de preparar o leite do dia para receber o coalho e chego aqui e vejo a outra parte integrante de uma entrada tão carateristicamente açoriana, a massa de malagueta. Complementaridades. Quando publicar o queijinho, remete-lo-ei para este post que eterniza uma tradição tão tua e tão nossa.
    Um abraço.

    ResponderEliminar
  7. Oi Llidia, que delicia.Adoro pimentas, costumo retirar as sementes para que fiquem menos picantes, mas o sabor a meu paladar é divino.Adorei.Beijos e uma ótima semana.

    ResponderEliminar
  8. Recebi agora um telefonema de uma amiga do Faial que segue o teu blogue (eu passo a vida a falar-lhe de ti - só coisas boas, claro. Ela pediu-me para te dizer que fez esta tua receita de massa malagueta e que ficou fenomenal.Muito boa mesmo, segundo as palavras dela.

    E agora isto fez-me lembrar que me esqueci, como havia prometido acima, de sugerir esta hiperligação quando publiquei o meu queijinho fresco.Vou já tratar disso.

    Outro beijinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Agradece à tua amiga por mim. Sabe tão bem este feedback. Eu também gosto desta receita. Há outras versões, em que a malagueta vai a cozer, mas esta é muito fresca e saborosa. E obrigada pela referência à receita no teu blogue :)
      Beijinhos

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Acerca de mim

A minha foto
O Acre e Doce é um blogue que celebra a vida de casa, principalmente os momentos passados à volta da mesa. É um blogue de coisas que nos fazem felizes, sejam uma refeição, um filme, um livro ou um ramo de flores frescas.