quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Outros Natais














Recuo duas décadas e vejo-nos, a mim e ao meu irmão, já de banho tomado e de pijamas. Sentados na sala, vemos desenhos animados ou um filme alugado no clube de vídeo. Tom e Jerry, Estrumpfes, ou um clássico da Disney.   Até nós, chegam os cheiros dos doces, vindos da cozinha. A minha mãe prepara o Natal. Faz bolos e queijadas e pudins. E o perú já está a marinar. Pronto para ser recheado. O bacalhau também está de molho, que ceia de Natal tem de ter bacalhau. E nós, felizes, seguros, cheirosos, despreocupados. De vez em quando, um desentendimento. Não chegamos a acordo quanto ao que ver. Ele, provavelmente, quer ver uma coisa de rapaz, do género Tartarugas Ninja. E eu, na condição de irmã mais velha, acho que tenho o direito de escolher. A minha mãe, de avental, tenta manter a ordem: Se não se calam, acabou-se a televisão! Acalmamos. Mesmo assim, de vez em quando, voa uma almofada. 
Creio que ouço a minha avó, que está com a minha mãe na cozinha: Deixa os pequenos. São crianças! Quando preparo o meu Natal, recordo estes momentos com ternura. E tenho saudades da minha avó e das estórias que nos contava. No meu tempo, os presentes eram laranjas e figos passados. Não havia a abundância que há agora. E da paciência que a minha avó tinha quando fazíamos o presépio. Da habilidade da minha avó a fazer as casinhas de cartão, com cortinas de renda, e barras nas janelas. E das canções de Natal que a minha avó nos cantava. Louvado seja o Menino Jesus/ Fruto do ventre da Virgem Maria... 

Desejo a todos os que por aqui passam um Natal muito feliz, com muita Saúde, Paz e Amor.

Pudim de castanhas
(a receita de que vos falei aqui, da G.)

Ingredientes:
500 g de açúcar
300 g de castanhas cozidas e trituradas
8 gemas e 4 claras
2 colheres de sopa de açúcar caramelizado
50 g de amêndoa
1 colher de sopa de manteiga

Leva-se o açúcar ao lume até fazer ponto pérola. Juntam-se as castanhas moídas, a manteiga e a amêndoa. Deixa-se ferver até começar a ver o fundo do tacho, ao passar a colher. Juntam-se as duas colheres de açúcar caramelizado. Tira-se do lume, deixa-se arrefecer e juntam-se os ovos bem batidos (sem voltar ao lume).
Unta-se uma forma com manteiga e forra-se com papel vegetal. Vai ao lume cerca de 45 minutos, a 180 graus (verifiquei a cozedura com um palito).


Com esta receita, participo no desafio Coisas doces para saborear até ao dia de Reis, do blogue Cinco Quartos de Laranja.

23 comentários:

  1. É mesmo, o Natal para mim traz-me muitas recordações, todos os cheiros, a casa da minha avó, a azáfama na cozinha, o quentinho e aconchego do lar e da família.
    Este pudim parece óptimo. Um Feliz Natal.
    Um beijinho.

    ResponderEliminar
  2. Ilidia, uma excelente receita para a época. A tua história lembra-me os dias da minha infância, ma companhia da minha irmã, sempre às turras mas não passávamos uma sem a outra.
    Um beijinho e Feliz Natal para ti e familia

    ResponderEliminar
  3. Ilidia, as fotos ficarm lindas (mesmo de profissional!) que acende a chama da gulodice sem querer. A estória, como sempre, muito bem relatada e que demonstra bem as saudades que tens da tua avó. É bom ter essas memórias guardadas no coração e que sabem sempre bem partilhar.
    O bolo, esse ficou de babar e fiquei sinceramente convencida que deve ser uma delícia.

    Resta-me desejar-te, de novo, um feliz natal na companhia dos que mais amas cheio de paz, amor e saúde.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  4. Que aspecto maravilhoso, Ilídia! Hoje também o dia todo com as minhas princesas a fazer bolachinhas. Depois de decoradas vou partilhar :) Bom Natal! Beijinhos

    ResponderEliminar
  5. UM PUDIM LINDO PARA SERVIR DEPOIS DA CEIA DE NATAL.
    UM FELIZ E DOCE NATAL.
    BJS

    ResponderEliminar
  6. Olá Ilídia.
    Que lindo pudim e anjinho!
    Um santo e feliz natal.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  7. O Natal tem este efeito. Faz com que as memórias que acalentamos venham assim. Em forma de cheiros, de imagens. E de pessoas. Muito de pessoas. E a diferença que fazem (ou faziam) nas nossa vidas. Gostei muito das tuas evocações de infância. Também me lembrei das divergências barulhentas com a minha irmã. Que acabavam sempre em ceias tardias e doces, nesta altura do ano:)
    As fotografias do teu pudim de castanhas são particularmente lindas. Com um anjo branco e coisas doces. Uma boa maneira de desejares bom Natal. Obrigada. E hei-de ouvir a voz da minha amiga Ilídia. A dizer e a ouvir bom Natal:)

    Um beijo.

    Mar

    ResponderEliminar
  8. Ilídia:
    Dos tempos de criança recordo sobretudo o facto de o Natal ter tempo. De estarmos em casa a saboreá-lo...
    Beijinhos e votos de Feliz Natal para a Ilha Verde
    Babette

    ResponderEliminar
  9. Pois a tua memória de outros natais fez-me recuar e ver algo semelhante nos meus: e eu e minha prima na sala, a avó na cozinha a preparar o natal, os cheiros e os sabores, está tudo ainda muito vivo e presente. Este ano a minha avó já não está fisicamente connosco e tenho muitas saudades de todos estes episódios...
    Feliz natal, com a família e amigos e este belo pudim de castanhas :)

    ResponderEliminar
  10. Quase chorei ao ler as tuas recordações que são tão identicas às minhas. E quase juro que eu e os meus irmãos também andávamos às turras e que a minha avó e bisavó diziam as mesmas frases que a tua. Revisitei os meus natais. Obrigada por me teres proporcionado esta viagem.
    Votos de um santo natal para a menina que tira fotos como um anjo.
    Perfeitas porque embebidas em sentimento.
    Beijos para ti e para a tua família
    Patrícia

    ResponderEliminar
  11. Ao contrário de ti e do teu irmão, eu e o meu irmão passávamos esta época festiva literalmente enfiados na cozinha com a mão na massa!
    As minhas recordações são se estar sempre de volta da minha Mãe enquanto as delícias de Natal eram preparadas, e que bons tempos!
    Já hoje também os meus filhos gostam de nos acompanhar na preparação de tudo, pois é uma época em que estamos todos reunidos, o Natal é mesmo isso, a festa da Família!

    Desejo-vos umas Boas Festas!

    ResponderEliminar
  12. Que lindo post... Que belas recordações : )

    Os votos de um Feliz Natal e um Prospero Ano Novo de 2012. Com muito amor, paz e saúde. Para ti e toda a tua família.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  13. O seu Natal de infância em tudo semelhante ao meu, mas com uma minha irmã :).
    Quase consegui sentir o cheiro da erva doce na cozinha quando metia as mãos na massa para moldar broinhas.
    Um Natal muito feliz para a Ilídia e família.

    ResponderEliminar
  14. Desejo um Feliz, Feliz Natal para ti e para os teus!!!

    Bjoka
    Rita

    ResponderEliminar
  15. Feliz natal minha querida! Beijinhos grandes para ti e para os teus gajos. Ate para a semana.
    Maria

    ResponderEliminar
  16. Querida Ilídia,

    Votos de um feliz e doce Natal.

    Um beijo

    Fa

    ResponderEliminar
  17. Bom dia Ilídia, o teu texto é um retrato fiel do ambiente vivido em muitas casas, a minha por exemplo, nos meus tempos de criança. Eu e o meu irmão com 16 meses de diferença de idades:)
    O teu pudim está um monumento, e que delicia deve ficar.
    Agradeço o retribuo os votos de boas festas,
    um beijinho doce para ti:)

    ResponderEliminar
  18. Feliz Natal, Ilídia! E um 2012 cheio de coisas boas, como este pudim :)
    Um beijinho
    Teresa

    ResponderEliminar
  19. Ilídia, desejo um Feliz Natal para si e para a família, e um novo ano de 2012 com tudo de bom.
    Beijinhos do Paraíso!

    ResponderEliminar
  20. Ilidia,
    Desejo um Santo e Feliz Natal na companhia de todos quantos te são queridos.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  21. Ilídia,
    muito obrigada pela tua participação.
    O bolo ficou lindo.

    Um beijinho e votos de um excelente ano de 2012.

    ResponderEliminar
  22. Fico com muito bom aspecto! feliz ano novo:)

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Acerca de mim

A minha foto
O Acre e Doce é um blogue que celebra a vida de casa, principalmente os momentos passados à volta da mesa. É um blogue de coisas que nos fazem felizes, sejam uma refeição, um filme, um livro ou um ramo de flores frescas.