quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Belladonas + abóboras + groselhas = outono

São elas que anunciam o outono. Em setembro, as bermas das estradas adornam-se de flores cor-de-rosa. Chamam-lhes meninas para a escola, por o seu florescimento coincidir com o início das aulas. Pelo menos, é essa a explicação mais comum. 
Nesta altura, as meninas para a escola pontuam as nossas estradas, em grupos irregulares. Primeiro, duas ou três; mais adiante, um grupo maior; depois de uns metros sem nenhuma, outro grupinho delas. Mesmo a lembrar outros tempos, quando todas as crianças faziam o percurso para a escola a pé, entre brincadeiras, gargalhadas e uma ou outra traquinice. As meninas para a escola lembram-nos a infância. Quando vou de carro, e as vejo, recordo aqueles tempos em que também eu pontuava as bermas da estrada, a caminho da minha escola primária de apenas duas salas. É esta a imagem que associo a estas flores de que tanto gosto. Há dias, cheguei a casa e encontrei um ramo de meninas para a escola à minha espera. E souberam-me tão bem, depois de um dia longo de trabalho :)



Outro dos sinais inequívocos da chegada do outono é a pilha de abóboras que está encostada ao muro da minha casa. Todos os anos, por esta altura, há por aqui um ou mais posts sobre abóboras. E muitas receitas em que elas têm um papel central. Este ano não é exceção.


Outro sinal de outono: as groselhas, que caem dos ramos, de maduras. Tão bonitas! Achei que haviam de ficar bem na mesa, junto às abóboras hokkaido. E para o jantar, mais abóbora. Assada, cheia de especiarias, mesmo a saber a outono.



Deixo a primeira receita com abóbora da época. Aparecerão mais, certamente. É uma daquelas receitas mesmo fáceis, sem quantidades exatas, que cada um pode adaptar consoante as suas preferências.

Abóbora assada com especiarias
Ingredientes:
1 abóbora pequena (usei um pedaço da abóbora que podem ver na foto, a ser inspecionada pela Rita)
açúcar mascavado q.b.
canela, gengibre e cardamomo em pó q.b.
sal e pimenta preta q.b.
azeite q.b.



Preparação:
Cortar a abóbora em fatias da espessura de um dedo. Colocá-las num tabuleiro, untado com azeite.
Temperá-las com sal e pimenta, polvilhá-las com açúcar e especiarias a gosto e regá-las com um fio de azeite. Levar ao forno a 180 graus até estarem cozidas (o tempo dependerá da quantidade de abóbora, por isso deverão estar atentos para que não se desfaça). Servir as abóboras, a acompanhar um assado de carne. Cá em casa, acompanhou um entrecosto no forno bem suculento.






14 comentários:

  1. Querida Ilídia,estou super feliz em saber que visitas meu cantinho e obrigada pelas palavras carinhosas.
    Quanto ao fato de não conseguir comentar no blog,me causa estranheza,já que recebo comentários de varias amigas,inclusive de Portugal... Para fazer isso,basta clicar no título do post que quer comentar,ele vai abrir e no final se encontra o espaço para deixar o comentario,ok?
    Estou,mais uma vez, encantada com o que escrevestes e tambem pels receita.É tão minuciosa a tua narrativa que se pode quase ver a cena.As flores são realmente lindíssimas,as abóboras parecem cinematograficas e os gatinhos,fofos demais!
    Um outono lindo e aconchegante para voces,recheados de delicias e muito amor. Um beijinho para o teu Manel e no seu coração. Obrigada pelo carinho,Katia.
    Ps: Hoje comemoramos ,aqui,o dia dos Professores,então parabens pata voce tambem,querida.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Kátia.

      Como estamos habituadas a ter logo a opção "comentário", sem que tenhamos de clicar no título, pensamos que não dá para comentar. Hei de experimentar seguir as suas instruções.
      Adoro estas flores. Há dias, uma amiga dizia-me que sempre as detestou, precisamente pela mesma razão por que as adoro: anunciam o início das aulas :) No fundo, parece que o nosso gosto pela flor está ligado ao gosto que temos pela escola :)

      Uma boa primavera para você, aí do outro lado.

      Um beijo,

      Ilídia

      PS: Os nossos professores bem que precisam de alento. Em Portugal, é uma profissão cada vez mais difícil. É preciso gostar-se mesmo para não se desanimar.

      Eliminar
  2. Mas que post ternurento, amiga! Cheio de fotos lindas e muita cor. Tu sabes como fazê-los :) São genuínos e sem esforço. És tu.
    Adoro abóbora assada e agora mesmo estive a fazer um post com esta amiga ;) A tua parece muito apetitosa e a mesa ficou linda com o teu engenhoso arranjo. A minha árvore de groselha este ano não deu quase nada, tanto cuidado para a proteger dos pássaros e ainda não amadureceram. Acho que vou come-las mesmo verde :P

    Um grande beijinho e muitas saudades.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, querida.

      Antes de mais, obrigada pelas palavras. Quanto ao facto de os meus posts serem genuínos, creio que sim, que refletem aquilo que sou. Em relação à parte do esforço, depende. Às vezes, o cansaço é tanto que demoram (e custam) a sair. Mas vão aparecendo, com mais ou menos frequência, ditados pelo ritmo mais ou menos acelerado dos meus dias.
      Pois, sei que, tal como eu, adoras abóbora. Experimenta assá-la assim. Fica muito saborosa. Quanto ao arranjo, compu-lo em dois ou três minutos. Seria bom se fosse tudo assim tão fácil :) Eu não gosto de groselhas. Cá em casa, só o Manel gosta. Mas acho-as lindas e uso-as assim, a decorar :)

      Um beijo, também de saudades.

      Ilídia

      Eliminar
  3. Fiz hoje para o jantar ;)
    Beijinhos para os três de nós os três.
    Maria

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É uma delícia, não é?

      Beijos para vocês.

      Ilídia

      Eliminar
  4. Que maneira linda de dizer estas flores. Aqui perto de mim, são as flores que dizem que é Outono. Num dos últimos dias de Verão, a minha tia Beca olhou-as no jardim e disse que eram sinal de Outono. Embora isto esteja tudo trocado, porque por aqui tem sido Inverno cerrado.
    Um dia destes, a ver se tento assar abóboras assim dessa maneira:)

    Um beijo.

    Mar

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também acho uma delícia esta designação, principalmente devido a todas as imagens que lhe estão associadas. Transportam-me para uma infância que já não existe. Não me refiro à minha, mas à dos meninos de agora, que nada tem a ver com a que vivi. Aqueles momentos em que regressávamos da escola, a pé, em grupinhos, eram bem especiais.
      Por aqui, o outono tem sido meiguinho :)
      Experimenta as abóboras. Acho que vão adoçar esse vosso outono de inverno.

      Um beijo.

      Ilídia

      Eliminar
  5. Eu Tb ia a pé para a escola. Hj em dia a maior parte dos miúdos vai de carro (São Tb muito poucos os q se vê nos autocarros). Mas as ruas das escolas totalmente entupidas de trânsito já são parte da nossa vida... Sinais dos tempos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Na escola onde trabalho, por ficar num meio rural, ainda se recorre muito aos autocarros. Mas nas cidades, nem por isso. O meu filho vai de carro e sim, a confusão é grande antes das nove da manhã.

      Um beijo.

      Ilídia

      Eliminar
  6. Não conhecia esse outro nome para as flores. Nem associava a coisa nenhuma, para ser franca. Menina da cidade ;) sei lá eu o que há nas bermas da estrada ;) Sempre a aprender! O centro de mesa estava mesmo de Outono e essa abóbora piscou-me o olho ;)
    Beijo
    Babette

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, deve ser mesmo por seres menina da cidade :) Não há flores nas bermas. Aqui, estão todas enfeitadas, por esta altura. Bem bonitas!
      Nesta altura, entro em modo "estações frias". Só me apetece aconchego, velas pela casa e arranjos outonais :)

      Um beijo.

      Ilídia

      Eliminar
  7. Eu, que tenho 42 anos, também ia a pé para a escola. Mas, não morava no campo e não via flôres.

    Vi estas flôres pela primeira vez no norte do país, e fiquei sem saber como se chamavam.

    Aqui no Algarve nunca vi.

    Gostei muito do post! E da ideia da abóbora assada como acompanhamento.

    Já experimentei assar mas, para fazer sopa e gostei muito.

    Embora eu seja pessoa de Verão, tenho que aceitar que ele só volta para o ano e aproveitar as coisas boas do Outono, as abóboras por exemplo.

    Muito engraçados os felinos! A Rita achou piada à curgete, pelos vistos.

    Um beijo do Algarve e votos de um excelente fim - de - semana aí na Terceira,

    Sandra Martins

    PS - No fim - de - semana passado fui ver o filme "Os Maias". Não é brilhante mas, é português e não assassina a obra. Lembrei-me de um post da Ilídia a propósito do Dâmaso. Muito chique!



    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Aqui são frequentes. Nos jardins e nas estradas. Fica tudo muito bonito por esta altura, muito por causa das "meninas para a escola" :)
      Também já fiz sopa de abóbora assada. E gostei muito. Experimente assim, a acompanhar carnes. Reconfortante!
      Aquilo é uma abóbora, Sandra, não uma courgette. Não sei o nome da espécie, mas foi com uma parte dela que fiz o assado da foto. A Rita interessa-se por tudo à sua volta. Nunca apanha seca, pois tudo para ela é interessante :)

      Um bom fim de semana para o Algarve.

      Um beijo.

      Ilídia

      PS: Vou ver Os Maias na próxima sexta-feira. Espero não me desiludir (muito).

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Acerca de mim

A minha foto
O Acre e Doce é um blogue que celebra a vida de casa, principalmente os momentos passados à volta da mesa. É um blogue de coisas que nos fazem felizes, sejam uma refeição, um filme, um livro ou um ramo de flores frescas.