segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Um gelado de outono

Com o outono, chega o desejo das especiarias. Apetece o cheiro da canela, da noz moscada, do gengibre e do cravinho. São cheiros que confortam, dentro de portas, e parecem antecipar o Natal.
A ideia de um gelado de abóbora e especiarias pairava há dias. No fim de semana, concretizei-a. Uma pesquisa mostrou-me várias receitas. Quando vi esta, na página do David Lebovitz, não procurei mais. Há nomes que associamos a qualidade e nunca fiz um gelado deste senhor que me deixasse mal. 
Este é um gelado outonal que, com o calor das especiarias, resultou num oxímoro muito saboroso. 

Gelado de abóbora
(Ligeiramente adaptado daqui)


Ingredientes:
375 ml de leite gordo (usei meio gordo)
250 ml de natas gordas
95 g de açúcar amarelo
1colher de chá de gengibre fresco, ralado na hora
1/2 colher de chá de canela moída
1 pau de canela
1/2 colher de chá de noz moscada, ralada na hora
1/4 colher de chá de sal 
5 gemas grandes
60 g de açúcar mascavado escuro
1/2 colher de chá de extrato de baunilha
2 colheres de chá de Grand Marnier, rum ou brandy (facultativo) - não usei, por causa do Manel.
180 g de puré de abóbora (feito em casa ou enlatado) - usei caseiro


Preparação:
Se optar por fazer o puré caseiro, coza a abóbora a vapor, escorra-a bem e reduza-a a puré.
Numa tigela grande, coloque água e gelo; sobre esta, uma tigela menor e, finalmente, um coador. 
Numa caçarola média, misture o leite, as natas, o açúcar, a canela moída, o pau de canela, a noz moscada, o gengibre e o sal. Aqueça a mistura até que se comecem a formar bolhas à superfície.
Com uma vara de arames, bata as gemas e, sobre estas, verta metade da mistura de leite e especiarias, mexendo sempre. 
Junte esta mistura ao restante leite que ficou na caçarola, e continue a mexer, em lume brando. Vá raspando o fundo com uma espátula, até que a mistura se comece a agarrar a esta. Se usar um termómetro, este deverá marcar 71º-76º.
Passe a mistura pelo coador que está sobre a tigela semi-imersa no banho de gelo. Junte o açúcar mascavado e deixe arrefecer completamente, de preferência durante a noite.
Misture a baunilha, o licor (caso use) e o puré de abóbora. Passe a mistura por um passador fino (não respeitei este passo e não acho que seja necessário), deite o creme no recipiente de uma máquina de gelados e congele, segundo as instruções do fabricante.

* Caso não tenha máquina de gelados, leve ao congelador e, de vez em quando, bata com a batedeira. Quantas mais vezes o fizer, mais cremoso ficará o gelado.


19 comentários:

  1. Olá Ilídia
    Mais uma sugestão com especiarias que me deixa com vontade de adquirir a famosa máquina de fazer gelados. Sabes quantas vezes já fiz o teu "frango indiano"? três! e o pão naan também. Nos dias da "asneira", porque isto dos hidratos de carbono é só para alguns dias :)
    Temos de falar!
    Um abraço,
    Guida

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que bom que gostaram das minhas receitas indianas. Só as fiz uma vez, ainda. Tenho de as repetir um dia destes. Também ando com saudades de uma conversa com som :)
      Beijos,
      Ilídia

      Eliminar
  2. Adorei os aromas desse gelada, é um gelado que aquece :)
    beijinhos :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda ontem uns amigos o provaram e confirmaram: é um gelado quente :)
      Beijinhos,
      Ilídia

      Eliminar
  3. Ora aí está uma coisa que nunca fiz e até gostava de experimentar: gelado de abóbora e especiarias. Ilídia, estás no meu coração :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Experimenta, Ondina. Vais adorar. É muitíssimo saboroso! Fico feliz por estar no teu coração :)
      Beijinhos.
      Ilídia

      Eliminar
  4. Nunca comi gelado de abóbora mas deve ser mesmo bom!
    Kiss, Susana
    Nota: Ver o passatempo a decorrer no meu blog:
    http://tertuliadasusy.blogspot.pt/2013/10/dia-um-na-cozinha-e-escolha-do.html

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É muito bom, sim, Susana. Em relação ao passatempo, agradeço, mas há algum tempo que decidi deixar de participar em passatempos. Obrigada pelo convite :)
      Beijinhos,
      Ilídia

      Eliminar
  5. Deve ser óptimo!
    Beijinhos,
    http://sudelicia.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  6. Tão linda:) Fazes gelados improváveis e tudo. Nunca soube da existência de gelado de abóbora, vês? Gostei muito da sequência dos ingredientes. Sabores destes dias. Tens feito homenagens bem bonitas às abóboras. Bom que estejam aqui guardadas. Bom que sejam aqui partilhadas.

    Um beijo.

    Mar

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Improvável, mas delicioso. Também nunca tinha visto. Mas há gelados de quase tudo. Quando fiz a pesquisa no google, encontrei imensas receitas. Já quase tudo foi inventado :) Adoro abóboras, em pratos doces e salgados. E parece-me que ainda as vou homenagear muito este ano :)

      Um bom domingo.
      Um beijo,
      Ilídia

      Eliminar
  7. Que coisa boa Ilídia!
    Um gelado com os sabores de outono, adoro.
    Abóbora, especiarias e David Lebovitz, estou já a pensar em fazer :)
    Um beijinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Faz, sim :) Acho que é a tua cara, Inês. Por todas as razões que enuncias. Depois conta ;)
      Um bom domingo.
      Beijinhos,
      Ilídia

      Eliminar
  8. Que linda sobremesa de transição: um gelado que faz a despedida ao Verão, com os sabores quentes das especiarias de Outono. Que bonito que ficou. Original e tentador!
    Um beijo!
    Babette

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito bom, Babette. No fim de semana em que fiz este gelado, fiz uma sangria, também de transição, que vou publicar de seguida. Gosto desta época de meios-termos, em que tudo é suave :)

      Um beijo,
      Ilídia

      Eliminar
  9. Encontro-me em pleno e profundo estado de paixão por abóboras! Não deixarei de testar o gelado.
    Muito obrigada.
    Nina

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Acerca de mim

A minha foto
O Acre e Doce é um blogue que celebra a vida de casa, principalmente os momentos passados à volta da mesa. É um blogue de coisas que nos fazem felizes, sejam uma refeição, um filme, um livro ou um ramo de flores frescas.