domingo, 25 de agosto de 2013

Uma frittata de ovos especiais

O que comeu aquilo que eu vou comer? Aprendi a questionar a origem do que ponho no prato quando comecei a frequentar a Biofontinhas, há 10 anos. Naquela altura, pouco ou nada refletia acerca da qualidade dos alimentos que comia. Tinha umas noções básicas acerca do que era saudável e do que era para comer só de vez em quando. No entanto, ignorava muito daquilo que fui aprendendo ao longo destes anos. Nessa altura, a agricultura biológica dava os primeiros passos. Pelo menos, por cá. Foi com o Avelino que aprendi a olhar com outros olhos para os alimentos e a desconfiar de muitas das coisas que comia.
Hoje em dia, prefiro os peixes apanhados nos mares dos Açores àqueles que vêm de terras longínquas. E são tantas as variedades e tão boas. Boca negra, cântaro, lírio, garoupa, cavala... Prefiro a carne que compro no Talho Santa Catarina, de vacas que pastam livremente nos nossos cerrados* e comem as ervas verdes que fazem as nossas paisagens. E como vegetais da minha horta, cultivados por nós, sem adubos nem pesticidas. Não sou fundamentalista e abro exceções. Não digo que não a salmão, por exemplo, só porque não se pesca aqui ao lado. Se só há couve-flor no supermercado e me apetece comer, compro. Apenas privilegio aquilo que é mais natural.
Quanto aos ovos, tenho-os comprado caseiros. De aviário, só mesmo quando não tenho outra alternativa. Ontem de manhã, um telefonema da Maria João. Depois de termos tagarelado um bocadinho, contou-me, com entusiasmo: As nossas galinhas já põem ovos! Fui conhecê-las. Muito bonitas, e muito bem alojadas, numa espécie de hotel de luxo para galináceos. E, o mais importante, muito bem alimentadas, com verduras biológicas, produzidas na quinta, e milho. Nada de rações, que estas galinhas querem-se puras. O Manel adorou a visita e ficou felicíssimo quando a Maria João nos ofereceu alguns exemplares destes ovos especiais. 



 

A refeição seguinte teve de ser de ovos, claro. Uma receita simples, pois os ingredientes de qualidade fizeram o resto. Ó mãe, está muito bom. É porque os ovos são especiais?

Frittata de ovos especiais

Ingredientes para 2 pessoas:
3 ovos
1/4 chávena de ervilhas (usei destas, congeladas) 
coentros picados, q.b.
2 fatias de fiambre de perú, cortado em retângulos
3 pedaços de tomate seco, picado
1/4 chávena de queijo parmesão, ralado
sal e pimenta, moída na hora
 Preparação:
Liga-se o forno, na opção grill.
Bate-se os ovos. Adiciona-se os restantes ingredientes, tempera-se com sal e pimenta e mexe-se bem. Transfere-se a mistura para uma frigideira que possa ir ao forno e leva-se ao fogão, até que a parte de baixo da frittata esteja cozinhada. Leva-se ao forno, até que a parte superior esteja dourada.


Sugestão: Com as sobras, pode fazer uma sandes. Esta foi feita com uma das ciabattas do dia da neura, que tinha congelado.)
 
 * termo usado para designar os campos cercados por muros de pedra, característicos das paisagens açorianas, que podem ser vistos neste post.

18 comentários:

  1. também cada vez mais tenho atenção à origem do que compro e trago para casa. que pena não encontrar ovos caseiros com tanta facilidade!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É uma aprendizagem. Olhar para os produtos, preferir os locais, de preferência biológicos. Antes, olhava para a aparência das maçãs e escolhia as mais brilhantes. Agora, os critérios mudaram :)

      Eliminar
  2. Gosto muito de frittata e estou como tu, ovos de aviário só mesmo quando tem de ser.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já custa comprar ovos com números marcados a vermelho, não é? :)

      Beijinhos

      Eliminar
  3. Concordo em absoluto. Cada vez mais questiono a origem daquilo que ponho no prato e, sempre que possível, opto pelo mais natural e biológico possível. Mas tudo sem fundamentalismos :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É importante não haver fundamentalismos. Devemos tentar diminuir a ingestão de produtos mais "tóxicos", mas se, entre produtos de qualidade, comermos um ou outro de supermercado não morremos ;)

      Eliminar
  4. Sem dúvida que ovos caseiros são um bem precisoso que quem tem é um privilegiado!!!Bem amarelinhos, o sabor é muito diferente e como nesta frittata, o uso deles dá aquela tonalidade de comida "verdadeira"...
    Bjoka
    Rita

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "Comida verdadeira" sabe tão bem :) E se há produto em que se nota a diferença são os ovos. Quem se habitua aos caseiros não quer outra coisa :)
      Beijinhos

      Eliminar
  5. Pedimos desculpa mas é apenas para divulgar. Um casal, a crise, poupanças e histórias de quem vive a crise como muitos outros, mas onde a poupança é o melhor remédio. Pode passar a mensagem…? Obrigado!

    http://ocarteiravazia.blogspot.com/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa sorte, Joel. Com o blogue e com a vossa situação. Espero que as coisas melhorem.

      Eliminar
  6. Bem especiais, os ovos "à séria":) Tenho sorte, neste capítulo. Nunca uso dos de supermercado. A minha empregada traz. Pessoas que deixam saquinhos pendurados na porta de casa. Um amigo muito querido que vive aqui perto. De vez em quando, são tantos, que partilho. A Babette já recebeu uns quantos. E se tu estivesses mais perto, era ovos especiais muitas vezes:)

    Um beijo.

    Mar

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também raramente uso de aviário. Costumo comprar caseiros, normalmente a preços simpáticos. Pena não estar mais perto. Mas "ovos especiais" não são coisas que se mandem pelo correio ;)

      Um beijo,
      Ilídia

      Eliminar
  7. Deliciosa! Com ovos de verdade. Eu só comecei a pensar no que como e de onde vem o que ponho na mesa desde que moro na cidade. Dantes nunca me passavam essas coisas pela cabeça porque na aldeia era quase tudo do quintal. Por outro lado, confesso que nunca dei tanto valor às coisas que de lá vêm como agora.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que isto de darmos valor ao que vem da terra se adquire com a idade. Eu sempre morei no campo (e continuo a morar) e nunca dei valor ao que vem da terra como agora. Cada vez mais :)
      Um beijo para ti também.

      Eliminar
  8. Eu sou como tu, e penso exactamente da mesma forma, mas sem fundamentalismos!
    E cada vez questiono mais o que como e de onde vem, e em comidas fora de casa noto tantas as diferenças.
    bela fritatta, com ovos ricos e bem amarelinhos :)
    Um beijinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fico muito boa, esta fritatta. Simples, improvisada, mas com os nossos ingredientes naturais. E foi tão boa a manhã na quinta, com o Manel a delirar com as galinhas :) Terias adorado!

      Um beijo

      Eliminar
  9. Adoro fritatas e eu faço sempre com ovos caseiros :)
    Kiss, Susana
    Nota: Ver o passatempo a decorrer no meu blog:
    http://tertuliadasusy.blogspot.pt/2013/08/5-edicao-escolha-do-ingrediente-e.html

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Susana, ando com pouco tempo e não tenho participado em passatempos ultimamente. Vou publicando aqui o que vai saindo da cozinha, mas sem preocupações "blogosféricas" :) De qualquer modo, agradeço o convite.
      Beijinhos

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Acerca de mim

A minha foto
O Acre e Doce é um blogue que celebra a vida de casa, principalmente os momentos passados à volta da mesa. É um blogue de coisas que nos fazem felizes, sejam uma refeição, um filme, um livro ou um ramo de flores frescas.