quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Uma refeição pragmática

Nem sempre a ementa pode ser requintada. Nem sempre pode ter ingredientes diferentes, comprados em lojas gourmet. Se há dias em que a ementa é especial, com ingredientes estranhos, em que o objetivo é inovar, experimentar, degustar, outros há em que o que importa é alimentar, nutrir, saciar. Ter comida na mesa a horas, pois a família queixa-se de fome. Nesses dias, não há tempo para abrir livros de receitas, nem para pesquisar na internet. Se houver inspiração, pode sair um prato improvisado. Caso contrário, fazem-se aqueles de sempre. Aqueles que se sabe que agradam a todos. E que saciam. E que ainda restam para o almoço do dia seguinte. E, não menos importante nos dias que correm, que são económicos.
Isto tudo para vos dizer que o nosso jantar de hoje foi massa com carne. Uma espécie de massa à bolonhesa, à minha maneira. Não usei esparguete, pois tenho uma criança com três anos, que, apesar de adorar este tipo de massa, suja tudo quando a come (chão, mesa, cadeira, toalha, roupa...). Assim, num dia em que o pragmatismo imperou, optei por penne. Eles gostaram muito. Eu não desgostei.


Massa com carne 
1/2 kg de carne moída (limpa, comprada no talho de sempre, o Santa Catarina)
250 g de penne (usei Nacional)
1 cebola
3 dentes de alho
1 talo de aipo
azeite q.b.
1 caixinha de polpa de tomate
1 tomate (usei congelado, ainda dos da nossa horta)
1 colher de sobremesa de massa malagueta
1 ramo de salsa (pequeno)
vinho branco q.b.
1 colher (bem cheia) de sour cream
queijo ralado q.b.
orégãos frescos para decorar

Cozi a massa, em água temperada com sal.
Piquei a cebola, o aipo e os alhos e refoguei-os em azeite. Adicionei a salsa, picada, a polpa de tomate e o tomate, depois de lhe ter retirado a pele (basta colocar o tomate sob a torneira de água quente) e de o ter picado. Temperei com sal e a massa malagueta, salpiquei com um pouco de vinho branco e deixei cozinhar 3 a 4 minutos. Adicionei a carne e deixei cozinhar cerca de 10 minutos. No fim, juntei o sour cream e deixei apurar mais 2 a 3 minutos. Misturei o molho e a massa e servi, polvilhado com o queijo e com folhinhas de orégãos.

12 comentários:

  1. que bom aspecto. confesso que, pelo menos ao jantar, mais de metade das receitas são inventadas na altura, então aos fins de semana com mais calma é que faço as receitas que vi numa revista ou nalgum blogue.

    bjos

    ResponderEliminar
  2. Mesmo com pressa acho que conseguiste prepara uma bela refeição. Vê pelo lado positivo... não ficaste com a toalha suja, nem o tapete,lol!

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  3. Ficou com um aspecto delicioso, e uma bela refeição... Durante a semana também só faço comidinha básica, o meu problema e' faço tudo a olho e improvisar. Depois não sei as quantidades e os ingredientes para postar. Mas ficou muito apetitosa a tua receitinha : )

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  4. Uma refeição pragmática (citando a autora)que reconforta e sacia, mas que acima de tudo cheira a lar e a partilha. Contigo a pressa não é inimiga da perfeição.:)
    Bj
    Patrícia

    ResponderEliminar
  5. Tem um óptimo aspecto.
    Gostei do texto.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  6. Bom dia Ilídia!!!

    Já fui ao google ver o que é sour cream... não fazia a mínima ideia do que poderia ser...

    Um jantar delicioso!!!

    ResponderEliminar
  7. Bom dia alegria :) pois cá em casa é mesmo com esparguete. Sujam-se e sujam e é tudo x2, não têm 3 anos mas quase. Em dias de bolonhesa há caras pintadas, mãos sujas e cadeiras da papa sujas. Já foi pior, talvez por isso cá em casa não há tapetes :) o esparguete, esse, parto-o várias vezes em pedaços mais pequenos e é a melhor coisa que lhes posso dar. Eu bem gosto de o enrolar no garfo mas mais importante é vê-las satisfeitas :) e se lhes der uma comida assim como a tua não sobra nada no prato. Beijocas e bom fim-de-semana. Nada como a comida de sempre.

    ResponderEliminar
  8. Gostei da tua refeição.
    As massas por aqui são sempre muito apreciadas.

    ResponderEliminar
  9. Nada como uma comidinha assim caseirinha, boa, reconfortante para nos sentirmos saciados. Há dias em que não há tempo para inovar mas não deixa de ser uma óptima refeição.
    Um beijinho.

    ResponderEliminar
  10. Achava mesmo que eu me ia impedir de a comentar?:) As coisas que me obrigaram a parar, não me impedem de vir aqui e dar notícia disso. Ainda mais com uma massa destas. Pragmática sim. E simples. Mas este género de comida sempre significou tanto para mim. Desde pequena que o mundo era um lugar melhor, quando a minha mãe fazia massas destas. Muito especialmente no tempo dos dias frios. A sua fotografia ficou linda, de abrir o apetite. Quase que tenho vontade de ir a correr a casa da minha mãe e pedir massa. Tal e qual como quando era pequena.

    Um beijo de bom fim-de-semana. E obrigada por si. Que fico muito feliz por termos coincidido. E está tudo bem:) A minha pausa vai significar coisas boas, estou certa.

    Mar

    ResponderEliminar
  11. Uma refeição que sacia e é bem reconfortante, depois de um longo dia de trabalho.
    Um beijinho e bom fim de semana

    ResponderEliminar
  12. Pura "comfort food", daquela que sacia o corpo e a alma. :)

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Acerca de mim

A minha foto
O Acre e Doce é um blogue que celebra a vida de casa, principalmente os momentos passados à volta da mesa. É um blogue de coisas que nos fazem felizes, sejam uma refeição, um filme, um livro ou um ramo de flores frescas.